Confira 7 termos que todo empreendedor de startup precisa saber

Ao iniciar no mundo dos negócios de uma startup o empreendedor precisa ter conhecimento prévio sobre os termos usados entre os profissionais deste modelo de negócio. Portanto, para que você compreenda melhor e não fique perdido quando o assunto for startup, separamos, a seguir, 7 termos usados com frequência. Confira:

1- O que é Bootstrapping?
Este é o primeiro passo dos investimentos. Neste caso, o empreendedor ou o grupo de empreendedores, tira dinheiro do próprio bolso para investir na empresa. Praticamente todas as startups criadas começam com o sistema bootstrapping até conseguirem investimentos maiores.

2- O que é Capital Semente?
Esta é uma boa fonte de recursos para empresas que ainda não estouraram, mas que já tem produtos ou serviços lançados no mercado e algum faturamento. O capital semente apoia startup em fase de implementação e organização de operações, muitos deles concebidos no seio das incubadoras de empresas.

 

3- O que são Incubadoras?
As incubadoras representa um modelo mais tradicional de investimento a partir de um projeto ou uma empresa que tem como objetivo a criação ou o desenvolvimento de pequenas empresas ou microempresas, apoiando-as nas primeiras etapas de sua trajetória. O processo de incubação inclui ajuda com a modelagem básica do negócio, ajuda com técnicas de apresentação, acesso a recurso de ensino superior, entre outros.
Um exemplo de incubadora em Joinville é a Softville. De acordo com o CEO e co-fundador da Becon, Lucas Schiochet estar na Softville proporcionou aos jovens empreendedores estar em um ambiente onde respiravam inovação, compartilhando lições aprendidas e encurtando caminhos. “Não apenas pelo ambiente e as pessoas que coabitam nele, os incubados, mas por todas essas pessoas incríveis que estão orbitam ao redor desse mesmo ambiente. E todos juntos, compartilhando estratégias, números, experiências e te provocam a pensar fora da caixa. Um ambiente onde não existe concorrência. Onde todos aspiram o seu sucesso e do próximo, te instigando a ir mais longe, a ser melhor do que você era ontem, do que você é hoje, e do que você será amanhã”, ressalta.

4- O que são Aceleradoras?
As startups cumprem com a função de continuamente revitalizar o mercado, mas precisam de um ambiente propício para que se desenvolvam e tenham sucesso. A figura da aceleradora surge nesse contexto como um agente fortemente orientado ao mercado, geralmente de origem privada e com capacidade de investimento financeiro, que tem a função de direcionar e potencializar o desenvolvimento das startups.
Apesar de serem um tipo moderno de incubadoras de empresas, as aceleradoras têm uma metodologia mais complexa. O processo para participar das aceleradoras é aberto, e estas geralmente procuram por startups consistindo de um time para apoiá-los financeiramente, oferecer consultoria, treinamento e participação em eventos durante um período específico, que pode ser de três a oito meses. Em troca, as aceleradoras recebem uma participação acionária. Em geral, elas investem até R$ 100 mil e depois de quatro meses as empresas estão livres.

5- O que é Venture Capital?
É uma modalidade de investimento utilizada para apoiar negócios por meio da compra de uma participação para posterior saída da operação. O risco se dá pela aposta em empresas cujo potencial de valorização é elevado e o retorno esperado é idêntico ao risco que os investidores querem correr.

6- O que é Venture Building?
O modelo mescla características das incubadoras, aceleradoras e venture capital, sendo que fornece todo o planejamento estratégico, a captação de recursos financeiros e humanos e estrutura física. O objetivo de uma venture builder não é apenas criar um produto, mas construir um negócio. Geralmente a participação de uma venture builder numa statup é grande, chegando a até 80% da estrutura acionária na fase inicial.

7- O que é Investidor-Anjo?
O investidor-anjo é aquela pessoa que acredita na ideia e financia, com seu capital próprio. Neste universo das startups, considerando seu ambiente de incerteza e de rápidas mudanças, o risco sempre é eminente e todo investidor-anjo sabe deste risco. Geralmente este investidor é alguém que tem experiência em empreendedorismo. Hoje, ele é a maior fonte de capital para startup, seja em fase final de validação ou na etapa de crescimento.

Também podemos dizer que o indivíduo que investe em um negócio em sua fase inicial e assume todos os riscos é como um “anjo da guarda”, por isso o termo investidor-anjo.

Ficou mais fácil diferenciar cada termo do mundo das Startups?
Comente conosco o que você achou desse conteúdo! Você também pode compartilhar essa matéria em suas redes sociais.