Empreendedorismo e propósito

Segundo um artigo da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, 66% da população brasileira deseja abrir seu próprio negócio. Entre os jovens, esse percentual aumenta para 76%. Mas grande parte sequer começa. Ou pior, quebram nos primeiros 24 meses, segundo estatísticas. Muitas vezes o problema está no despreparo, pois as pessoas não sabem que em uma associação de classe, por exemplo, podem ter acesso a recursos que podem facilitar a abertura e a manutenção de um negócio, além do network.

Você também se inclui nos 66% da população que sonha em ter seu negócio? Ou já abriu sua empresa, mas não se conecta com pessoas com os mesmos objetivos, está apenas preocupado em vender mais e ter mais lucro? Talvez você tenha um problema. O mundo está conectado, o cooperativismo e compartilhamento de espaços cresce de maneira absurda. Esse é o futuro, que já chegou. Uma das habilidades do profissional do futuro é a capacidade de servir e compartilhar conhecimento.

Saia da zona de conforto, compartilhe suas ideias, se desafie em se conhecer melhor e faça parte de uma associação de classe. Nestes locais você vai encontrar pessoas com as mesmas dificuldades que as suas, ferramentas necessárias para o crescimento da sua empresa, além da oportunidade de adquirir autoconhecimento, através das relações de troca. Invista em você. Sem autoconhecimento é impossível saber qual caminho tomar e quando não se sabe para onde ir, qualquer caminho serve.

Em 2015, associei minha empresa à Ajorpeme e tenho convicção que foi uma das melhores atitudes que tomei desde que me tornei empreendedora. Hoje faço parte da diretoria da casa, onde exerço um trabalho voluntário. Este trabalho me dá um prazer enorme e os resultados aparecem de maneira natural. Dessa forma, fica fácil mensurar os ganhos intrínsecos. Consegui descobrir meu propósito como empresária, pois como costumo falar em minhas palestras e treinamentos, é muito importante conhecer o seu propósito, pois apenas quando se tem propósito é possível ser realizado no que faz.

 

 

 

Por Maristela Silveira Gamba – Diretora Comercial da Ajorpeme