Entrevista com o candidato à reeleição a prefeito – Udo Döhler

Dando sequência as entrevista com os candidatos a prefeito de Joinville, o candidato à releição e atual prefeito, Udo Döhler apresentou suas propostas na última reunião da diretoria, 14 de setembro, na Ajorpeme.

Conheça mais sobre suas propostas e principalmente o que se refere a micro e pequena empresa.

Por que o senhor se candidatou a prefeito?

Para que nós pudéssemos concluir a nossa proposta de governo para a cidade de Joinville, que não se esgota em quatro anos. Durante esta nossa gestão, nós procuramos avançar melhorando o processo de gestão. Quando chegamos encontramos a Prefeitura muito desarrumada, endividada e precisamos avançar fortemente em algumas áreas como saúde e educação. Foram escolhas que tivemos que fazer em função das dificuldades que encontramos no município. Hoje, nos colocamos na condição de disputar as eleições para que possamos concluir a nossa proposta de governo e enxergar lá adiante, uma cidade mais justa, mais igual, mais segura e mais feliz.

No seu plano de governo quais os pleitos para micro e pequena empresa?

Esse vai ser o nosso foco daqui pra frente. A cidade de Joinville até então tinha a sua economia fortemente centrada no setor industrial que perdeu velocidade e o serviço ocupou este espaço. Depois encontramos o reequilíbrio. Mas esse modelo caminha para uma fase de esgotamento. Nós teremos unidades menores que trabalhem em forma de cooperação entre si. Como exemplo, hoje Joinville acomoda 600 indústrias de ferramentaria, com quadro de funcionários que vai de 5 a 50 funcionários distribuídas por toda a cidade. Joinville hoje é o segundo maior centro de ferramentaria do país e será o primeiro dentro dos próximos anos. E esse modelo que também alcançará outras especialidades e mais adiante nós vamos alcançar novos espaços. Então é esse olhar que nós estamos tendo para prever o futuro do município. Isso mostra que as pequenas e micros empresas vão ocupar cada vez mais um espaço maior.

Dentro das suas propostas, qual ação o senhor vai colocar em prática para que não haja corrupção dentro da prefeitura?

Não há como conviver com a corrupção ou transigir. Então não há espaço nenhum para o desvio de conduta em nosso governo. Tanto assim que ao longo desses quase quatro anos de governos nós não tivemos nenhum processo licitatório anulado. O que nos permitiu uma economia significativa nas nossas contratações.

Qual a sua prioridade no seu mandato?

A nossa prioridade é consolidar estes avanços importantes que fizemos na área da educação e da saúde. Também ter um cuidado particular com a segurança, que passou a ser uma prioridade pois a violência cresceu muito no município. A segurança pública também é uma atribuição do município, embora o combate ao crime seja compromisso do Estado. Percebemos essa necessidade e criamos a Guarda Municipal para cuidar dos nossos alunos e proteger o patrimônio público municipal. Agora vamos triplicar esta guarda municipal para aumentar a segurança nas escolas e praças.