Internet Industrial vai trazer mais agilidade e produtividade nos negócios

Um dos maiores impactos causados pela internet industrial será uma mudança que afetará os negócios como um todo. Seja pequena, média ou grande empresa e os empresários precisam ficar atentos a criação de novos modelos de negócios.

E como manter os negócios da micro e pequena empresa viável nesta nova revolução tecnológica? Agindo rápido e pensando todos os processos da sua empresa de forma voltada ao digital.

Especialistas estimam que, até 2020, serão 50 bilhões de aparelhos conectados à Internet, gerando negócios da ordem de US$ 15 trilhões, com produtos, serviços e mercados que ainda não existem.

Durante a I Conferência Internacional da Associação Brasileira de Internet Industrial (ABII), realizada na Expogestão 2017, o presidente da ABII, José Rizzo, desmistificou o conceito de internet industrial e internet industrial 4.0.

Segundo Rizzo, em alguns casos, Internet Industrial e Indústria 4.0 são usados como sinônimos. Mas esses termos, embora relacionados a tecnologias e aplicações semelhantes, têm diferentes origens e significados. A Indústria 4.0 acaba remetendo muito à fábrica e manufatura, mas o nosso escopo é mais abrangente. Trata de diferentes segmentos industriais. “Além da manufatura vamos trabalhar com o setor de saúde, hospitais, geração e distribuição de energia, empresas do agronegócio e cidades inteligentes (smart cities). Basicamente, é fazer o uso da conexão da internet das coisas e levar sistemas, nuvem e Big Data a setores que não estão ligados a área pessoal.

Esta nova revolução tecnológica promete um forte crescimento econômico, a geração de mais e melhores empregos e a elevação dos padrões de vida da população e também está presente em linhas de montagens automotivas, sistemas de geração e distribuição de energia, centros hospitalares, monitoramento de manutenções e condições de funcionamento, comunicação entre plantas industriais.

“É muito importante que os empresários entendam e participem deste momento, para que possam se posicionar e definir suas estratégias para encarar essa revolução.

Rizzo apresentou um estudo da Washington University segundo o qual, em 10 anos, 40% das empresas listadas na Forbes simplesmente não vão mais existir. Das 500 maiores empresas americanas, 200 vão sucumbir porque não vão resistir a essa transformação digital. “Já estamos vivendo este momento e os empresários precisam entender que trata-se de um movimento que forma uma ruptura muito grande e muito rapidamente. Precisamos estar atentos e ágeis neste processo”, finaliza.

Quer saber mais sobre a Internet Industrial? Acesse a Revista Mundo MPE – Viver e Empreender online e leia a nossa matéria de capa que aborda mais um pouco sobre esta revolução que o mercado está enfrentando e vai enfrentar mais diretamente nos próximos anos.

 

Boa Leitura e até a próxima!

 

Crédito das fotos: André Kopsch