Não podemos perder a nossa força

A Micro e Pequena empresa é responsável por 1/3 da riqueza do Brasil, isso significa mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas; mais de 50% da força de trabalho vem da MPE (17 milhões de vagas com carteira assinada); 37% das pessoas do Brasil compram da micro e pequena empresa.

Representamos 99,2% dos CNPJs, isso significa mais de 10 milhões de empresas e geramos 27% do movimento econômico. Como pode o governo federal pensar em enfraquecer a Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE) unindo-a a várias outras pastas?

A criação da secretaria com status de ministério foi um avanço para as MPES. Agora falar em incorporá-la à Secretaria de Governo é inaceitável. Ela trabalhava justamente na redução da burocracia e dos impostos para o empresário da Micro e Pequena Empresa. Se realmente for extinta, com certeza trará sérias consequências ao país.

Conduzida pelo ministro Guilherme Afif Domingos, aumenta a competitividade e incentiva o trabalho da MPE. Está trabalhando ativamente na bandeira das empresas do Supersimples lutando por um tratamento diferenciado ao segmento.

Somos extremamente favoráveis à redução de gastos, mas a Secretaria da MPE não pode ser extinta. Essa decisão pode afetar significativamente a economia brasileira, com a perda desse importante canal. Afinal, se voltarmos ao primeiro parágrafo deste texto, estamos falando de um segmento que traz crescimento e renda para o país. Enfraquecer a secretaria é andar na contra mão do crescimento, tão necessário ao nosso país.

Não podemos perder esta força e voltar a deixar de crescer e dar melhores oportunidades ao grande empresário da Micro e Pequena empresa.

 

02/09/2015