Núcleo de Gestão e Pessoas promove o SERH

No dia 18 de outubro, o Núcleo de Gestão e Pessoas da Ajorpeme promoveu a 4ª edição do Seminário de Recursos Humanos e Gestão (SERH). O evento, realizado na Unisociesc, teve como tema “Neurociência, era digital e negócios”. Mais de 240 pessoas participaram de oficinas, painéis e palestras durante todo o dia.

Ana Carolina da Cunha, presidente do núcleo de gestão e pessoas, e Victor Kochella, presidente da Ajorpeme

Para Ana Carolina da Cunha, presidente do Núcleo de Gestão e Pessoas, o objetivo do evento é auxiliar os profissionais a acompanharem as transformações que estão acontecendo no mundo. “Não podemos focar apenas na tecnologia. Temos que pensar que existem pessoas e as empresas dependem de rentabilidade. Procuramos unir todas essas frentes para discutir sobre gestão”, afirma.

Segundo ela, a expectativa para 2019 é ampliar o evento: “A quinta edição do SERH será ainda mais especial”.

Oficinas e painéis
No período da manhã, os participantes puderam acompanhar oficinas interativas que tiveram como tema: “Design Thinking e Co-criação”, “Eu, tu nós – Como a economia colaborativa pode contribuir com o seu negócio” e “Comunicação Não Violenta: como exercitá-la no ambiente de trabalho”.

Em seguida, o público foi dividido em dois painéis temáticos: “Os novos desafios das negociações coletivas” e “Mentoria reversa: a interação entre profissionais jovens e seniores”.

No primeiro painel, Monica Pietschmann Gonzaga, gerente de RH da Docol; Durval Marcatto Junior, vice-presidente da FACISC e presidente da Câmara de Relações Trabalhista da FIESC; e Albano Schmidt, presidente da Termotécnica; participaram de um debate mediado pelo advogado André Daher.

Em sua fala, Schmidt destacou a importância de abordar diferentes pontos de vista sobre o tema: “Vamos ouvir a posição de um empresário, um advogado, um representante do sindicato e da área de RH. Como empresário, acredito que a reforma foi positiva. Agora, temos mais flexibilidade no parcelamento de férias e a possibilidade de rescisão por mútuo consentimento, por exemplo”.

No segundo painel, para falar de mentoria reversa, estiveram reunidos Karin Segui Von Hartenthal Ramos, da Conta Azul; Elke Mattos, gerente de RH na Digipix; e Patrício Korbes, da Koppa Labor Consultoria. O encontro foi mediado por Luzia Frohlich, diretora do Instituto Dal.

Karin ressaltou que o processo de mentoria acontece naturalmente no dia a dia, sem que as pessoas percebam. “Quando estabelecemos uma relação de confiança, transmitimos conhecimento em todas as nossas ações”, diz.

Comunicação Não Violenta foi o tema de uma das oficinas do SERH 2018

Palestras e debates
Já no período da tarde, o SERH apresentou palestras e debates. Allan Costa, empresário e consultor de negócios, foi o primeiro a subir ao palco para falar sobre o tema “Como transformar o divergente para o convergente no mundo dos negócios?”. “Tecnologia e inovação sozinhas não servem para nada. São as pessoas que fazem a diferença. Falamos muito em inovar, mas não sabemos o que significa, na prática. O Uber é um exemplo de inovação, pois mudou a experiência de quem dependia de táxis”, declara.

Na sequência, “A tecnologia que surpreende – Aliada ou inimiga?” foi o assunto da palestra de Anderson de Andrade, CEO da A2C. Andrade defendeu a atualização das empresas: “O caminho é o da conversão com as máquinas para gerar resultados e impactar positivamente os negócios”.

Em seguida, Pedro Luiz Pereira, diretor da Eurho Consulting e Renato Feres, presidente da Copper Indústria de Cobre, debateram sobre “Neurociência – Mitos e verdades na gestão e liderança”. Para encerrar o evento, a última palestra ficou por conta de Alberto Roitman, CEO da Nexialistas Consultores. Ele falou sobre “A evolução do aprendizado organizacional”.