O que é Growth Hacking?

A expressão foi criada por Sean Ellis,  Fundador e CEO do GrowthHackers.com (maior portal de conteúdo sobre growth hacking do mundo),  para descrever o método que já vinha aplicando nas empresas em que trabalhou, como o Dropbox, LogMeIn e Eventbrite.  Segundo ele, a melhor explicação para o termo é: marketing orientado a experimentos. Ou seja, localizar oportunidades e criar estratégias de marketing voltada a experimentos, que se baseia na identificação de oportunidades, tendo como objetivo, resultados acelerados para o crescimento da empresa.

A técnica utiliza em sua prática, tecnologia, metodologia de experimentos, processos e a abordagem científica, em especial, por meio da psicologia do consumidor, para entender como as pessoas pensam, reagem e são motivadas durante a tomada de decisão de compra. Em conjunto com as ferramentas de marketing, é possível encontrar e mensurar esses gatilhos de crescimentos.

Entre as táticas mais usadas no growth hacking estão o marketing de conteúdo, e-mail marketing e o SEO.

O growth hacking pode ser dividido em duas versões: via marketing e via produto. Dentro do marketing, sua principal função está direcionada a geração de demanda para o time de vendas. No produto, o foco está nas melhorias, proporcionando maior crescimento, como a conversão de versões gratuitas para pagantes e estimulando o engajamento do usuário. É importante entender que existem essas diferenças e que ambas trazem resultados, mas o ideal seria que caminhassem juntas.

Mesmo as empresas que não possuem um time dedicado somente a isso consegue ter uma mentalidade para encontrar gatilhos de crescimento, por que diferente do que se imagina, o growth hacking não é necessariamente um cargo, mas sim uma forma de pensar.